segunda-feira, 7 de março de 2011

O cheiro do ralo




     A Auditoria Cidadã publicou em sua página um gráfico com a  execução orçamentária da União em 2010, embora esperado, não deixa de causar espanto o percentual do orçamento que é destinado aos serviços da dívida pública, foram quase 45% !!! É inconcebível que o País continue mantendo esse ralo dos recursos públicos, que faz  a alegria de uma minoria e penaliza toda a população que sofre nas filas dos hospitais, com escolas sucateadas e abandonadas, sem moradia e sem direito ao mínimo pra uma vida digna.
    A cada alta da taxa SELIC, são mais recursos que serão destinados a esse ralo, e neste ano já foram dois aumentos.
    Quem acompanha mais atentamente os números e a  evolução histórica dessa dívida fica estarrecido, existe toda sorte de absurdo. Imagine você que antes de aumentar a taxa SELIC, o banco central faz uma reunião com executivos do mercado financeiro para ouvir a opinião deles, que na prática decidem o que vai acontecer, em seguida faz-se uma reunião do COPOM (Conselho de Política Monetária) para estipular o aumento , tudo para inglês ver.
    A Constituição Federal prevê uma auditoria da dívida, mas desde sua promulgação esse assunto foi deixado de lado, em 2009  foi instaurada uma CPI da Dívida Pública, proposta pelo Dep. Fed. Ivan Valente,durante os trabalhos constatou-se uma série de irregularidades,  o que gerou um relatório entregue ao ministério público federal e encontra-se sob investigação.
    Em 1994, a dívida era cerca de R$ 70 bilhões, em 2002  era cerca de R$ 700 bi, Lula assume e ao invés de fazer uma auditoria, resolve continuar essa farra, nomeando o ex-presidente do Banco de Boston e  deputado federal eleito pelo PSDB, Henrique Meireles, presidente do Banco Central.
   Essa política monetária, atrai investidores estrangeiros que despejam dólares na economia brasileira, criando problemas cambiais, as reservas cambiais gerada por essa enxurrada de dólares são aplicadas em títulos do tesouro americano, que paga menos de 1% de juros ao ano, lembro que nossa taxa é de 11,75%, é o mesmo que depositar seu salário na poupança e para pagar suas contas utilizar o limite do cheque especial.
   O novo (?) governo, preocupado com a alta da inflação e com o descontrole das contas, baixou um pacote em que  propõe um corte de 50 bilhões no orçamento, cortou-se em várias áreas, saúde, educação, moradia, congelou-se a contratação de servidores públicos, tudo em nome do equilíbrio fiscal e contenção de gastos, seria cômico, se não fosse trágico, que dois dias depois o COPOM anuncie mais uma alta da SELIC.
  É urgente  a auditoria dessa dívida, apurar as irregularidades e sobretudo as responsabilidades,  é preciso suspender o pagamento desssa dívida e descobrir quem ganha com todo esse dinheiro que vai para o ralo, e o cheiro desse ralo não é nada bom.
Link para o site da Auditoria Cidadã: http://www.divida-auditoriacidada.org.br/




Orçamento Geral da União 2010





Evolução da  Dívida Pública desde 1994